O projeto Ecoconsumidor encerrou suas atividades no mês de Dezembro de 2017. Durante três anos inúmeras atividades de educação ambiental foram desenvolvidas tanto com a comunidade escolar (alunos, professores, merendeiras) quanto com agricultores (produtores) e a comunidade urbana (consumidores). O objetivo principal sempre se pautou em aproximar o meio urbano do meio rural, por meio da oferta e consumo de produtos agroecológicos, promovendo o incentivo da produção de alimentos orgânicos, num ambiente ecologicamente saudável, para fazer parte da alimentação dos consumidores urbanos de Antonina e com isso promover uma educação ambiental e alimentar.

A última meta cumprida no projeto Ecoconsumidor foi o jogo virtual. Desde Outubro de 2017 iniciamos as reuniões de planejamento e desenvolvimento do jogo virtual. Para desenvolver o jogo contratamos uma empresa de entretenimento: CRENIX GAMES, que com sua equipe de roteirista, desenhistas e programador desenvolveram o Jogo virtual agroecológico EcoSitio.

ENCERRAMENTO DO PROJETO ECOCONSUMIDOR

Clique abaixo para conhecer todo o Projeto Eco consumidor

SEGUNDO ENCONTRO REGIONAL DA AGRICULTURA ORGÂNICA

No dia 22 de Junho de 2017 realizamos na sede da ADEMADAN o segundo evento sobre agricultura orgânica, organizado pela UNESPAR, TECPAR e ADEMADAN. Foram abordados temas voltados para a produção, organização, certificação e comercialização de produtos agroecológicos. Participaram do evento agricultores de todo o litoral, profissionais da EMATER, da AOPA (Associação para o Desenvolvimento da Agroecologia) e especialistas na área de agroecologia. Os agricultores participaram o dia todo das palestras, puderam tirar dúvidas sobre a certificação Ecovida e ao final do evento receberam um kit de sementes crioulas com cerca de 30 espécies de hortaliças, grãos e raízes com o objetivo de produzir e reproduzir essas espécies melhorando as características dessas sementes, adaptando cada vez mais ao clima e solo local. 

EVENTO DE ABERTURA DO PROJETO DE SEMENTES ORGÂNICAS / CRIOULAS E CERTIFICAÇÃO ORGÂNICA.

No dia 22 de Maio tivemos o primeiro evento com agricultores e a comunidade acadêmica para consolidar o Projeto de Sementes orgânicas e crioulas e discutir os passos da certificação orgânica das propriedades. Convidamos o curso de Agroecologia da UFPR litoral para participar das discussões e contribuir na proposta do projeto. O objetivo do encontro foi fazer o mapeamento das espécies agrícolas das quais serão possíveis fazer a replicação das sementes de forma orgânica. Também discutimos sobre aspectos da certificação orgânica, manejo e qualidade do solo, o marketing e a comercialização dos produtos orgânicos.

SEGUNDO ENCONTRO REGIONAL DA AGRICULTURA ORGÂNICA

Estamos preparando um sistema agroflorestal didático urbano, nos mesmos moldes da agrofloresta didática que temos na Escola Municipal Olímpia Breyer, para receber alunos das escolas do município. Atualmente estamos em fase de preparação do solo para adicionar nitrogênio e matéria orgânica, já plantamos adubação verde de inverno e agora entraremos com a adubação verde de verão, a crotalária.

Para a atividade de plantio da adubação verde de inverno foi convidada a turma do 4º ano integrado do Colégio Gil Feres, os alunos trabalharam em grupo plantando e regando as sementes. Além da prática do plantio, eles aprenderam os conceitos de adubação verde e sua importância na recuperação da qualidade do solo.

A Crotalária, além de adicionar nitrogênio ao solo, ajuda no combate a dengue. Suas flores amarelas atraem libélulas que são predadoras naturais de larvas de mosquitos Aedes e Culex. Assim, os locais preferidos pelo mosquito da dengue para fazer sua deposição de ovos acaba sendo o mesmo nicho de alimentação das libélulas ocorrendo assim um controle biológico natural do mosquito.

Ainda sobre o uso da crotalária no combate a dengue, promovemos um encontro com alunos do 6º ano do Colégio Moisés Lupion e fizemos o plantio da crotálária, em mutirão, na Praça Coronel Macedo. Os alunos assistiram vídeos e tiveram palestra sobre combate a dengue e o uso da crotalária no controle biológico do mosquito Aedes Aegypti na sede da ADEMADAN. Ainda, neste dia, aprenderam sobre Bioconstruções, sobre o funcionamento de uma bacia de evapotranspiração (BET) para tratamento do esgoto e sobre telhado verde e as vantagens ambientais.

MUTIRÃO COM OS AGRICULTORES DA REDE”

No dia 23 de Agosto realizamos um mutirão com os Agricultores da Rede da Agrofloresta na casa do

agricultor Emael. Este agricultor possui terras para plantio e dois sistemas agroflorestais, no entanto sua idade avançada e a falta de mão de obra  impedem o agricultor de produzir e manejar sua propriedade.

Numa manhã de terça feira, nos reunimos não apenas para trabalhar juntos, mas para trocarmos experiências, compartilhar saberes, dar algumas risadas e estreitar os laços de amizade entre o grupo enquanto trabalhavam fazendo canteiros de Taiá.

Após o trabalho braçal, os agricultores foram surpreendido com um almoço mais que especial, uma galinhada caipira oferecida pelo Senhor Emael e seus filhos.

Foi um dia maravilhoso que ficará na memória de todos os que participaram. Nosso agradecimento ao Senhor Emael pelo carinho da recepção e aos agricultores amigos que se dispuseram em ajudar nesse dia de mutirão.

INSTRUÇÃO DE PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE ANTONINA

No dia 22/06/2016 nos reunimos na Sede da ADEMADAN com os professores da rede municipal de ensino do município para uma tarde de instrução. Neste dia discutimos assuntos relacionados à preservação e conservação do solo, produção de alimentos e alimentação saudável e as questões que permeiam a agricultura convencional e seus prejuízos ambientais e sociais.

Os professores receberam nossa última cartilha, publicada em 2015, “Sistemas Agroflorestais por Nucleação” como material didático para auxiliar o trabalho interdisciplinar em sala de aula.  Nesta cartilha o professor encontrará apoio técnico para trabalhar diversos temas relacionados ao meio ambiente, biodiversidade, conservação do solo e da água e o passo a passo da instalação de sistemas agroflorestais como modelos ecologicamente produtivos.

Ainda, apresentamos o funcionamento da Rede da Agrofloresta como um modelo de consumo ecológico, onde todos se beneficiam: o meio ambiente, o agricultor e o consumidor dos produtos oriundos da agrofloresta.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL  – Manejo Dos Pomares Instalados No Colégio Estadual Moysés Lupion.

Foram instalados, em 2015, quatro pomares no terreno do Colégio Estadual Moysés Lupion como ferramenta de educação ambiental e recomposição de espécies frutíferas nativas da mata atlântica. Na implantação dos pomares, além da adubação orgânica nos berços, foi plantado adubo verde (feijão mucuna) no mesmo núcleo da muda para adicionar nitrogênio, já que é uma espécie leguminosa, melhorando a fertilidade do solo e o crescimento da muda.

No dia 29/06/2016 realizamos o manejo nas espécies frutíferas que compõe os pomares por meio de mutirão, com alunos do 6º ano do ensino fundamental e alunos do CEEP. Dr. Brasílio Machado. As mudas receberam coroamento com terra preta adubada e foi replantado outro adubo verde de inverno (ervilhaca sativa) para aumentar a matéria orgânica, cobrir o solo e favorecer o melhor desenvolvimento das espécies frutíferas.

2016/1

No dia 09 de Março de 2016, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, realizamos na sede da ADEMADAN um trabalho de capacitação com todas as Merendeiras da rede municipal, instruindo sobre alimentação saudável e inclusão de alimentos super nutritivos não convencionais na merenda escolar. É o caso da Taióba, do Maná Cubiu, a Mandioca e a Batata Doce. Nesse evento, as merendeiras conheceram  o valor nutritivo e medicinal destas espécies, além de uma série de receitas criativas e que podem fazer parte do cardápio escolar.  Fizemos ainda uma receita de omelete com taióba e suco de Maná Cubiu para que elas merendeiras pudessem conhecer esses novos sabores.

Capacitação Projeto Ecoconsumidor 2015/2

No segundo semestre de 2015, o Projeto Ecoconsumidor avançou ainda mais em seu trabalho de sensibilização e capacitação da comunidade escolar antoninense sobre os problemas sociais, ambientais e de saúde que envolvem o método convencional de produção e consumo de alimentos, através da monocultura e do uso de agrotóxicos, fertilizantes químicos e de sementes transgênicas.

No Colégio Estadual Moysés Lupion, praticamente todos os alunos foram sensibilizados por esta questão e conheceram, ainda, os conceitos e a importância da agroecologia e, principalmente, dos Sistemas Agroflorestais como método de preservação ambiental e produção de alimentos orgânicos. Os alunos conheceram, ainda, muitas espécies frutíferas nativas e que foram plantadas pelo projeto nos pomares do Colégio.

Tendo papel importante nestas práticas, a gastronomia aparece como potencial espaço em que a cultura e a biodiversidade nativa são valorizadas, preservadas e estimuladas. Estimulando a agricultura familiar e a produção de orgânicos, ela envolve produtores rurais locais e combate o envelhecimento rural, a dependência a agrotóxicos e transgênicos, além de proporcionar sua autonomia econômica, já que se orienta mais pela economia solidária do que pela lógica do mercado, proporcionando bem-estar e conscientização aos agricultores e consumidores da cidade.

Nesta lógica de combate à monotonia e dependência alimentares, as PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencionais) locais foram apresentadas aos alunos do Moysés Lupion, que percorreram com o projeto vários pontos da cidade as identificando.

Percorremos o bairro das Laranjeiras e depois subimos até o mirante do Morro do Bom Brinquedo, onde identificamos PANCs e conversamos sobre Erosão Hídrica, problema que originou os deslizamentos naquele bairro em 2011.

Na Escola Municipal Rural Olimpia Breyer, com auxilio do SAF Didático lá instalado, trabalhamos os conteúdos da Agrofloresta junto aos alunos do 4º ano da manhã e da tarde. Temas como Erosão Hídrica, Biodiversidade e Adubação Verde passaram a compor o imaginário das crianças, que transmitiram este conhecimento não só aos pais, mas a uma série de visitantes que vieram conhecer o trabalho desenvolvido pela ADEMADAN e utilizar de seu método para formar ainda mais multiplicadores.

Uma das visitas ilustres ao projeto neste semestre foi a do Colégio Medianeira, de Curitiba, que trouxe pelo segundo ano consecutivo seus alunos para receber a capacitação proposta pela ADEMADAN sobre Agrofloresta. A ONG preparou 3 circuitos para os 270 alunos e professores visitantes. Na Escola Rural, os alunos antoninenses capacitados pelo projeto atuaram como multiplicadores e apresentaram, junto de nossos instrutores, o funcionamento de uma Agrofloresta e sua importância para a preservação da biodiversidade local e para o consumo consciente.

Clique abaixo para conhecer todo o Projeto Eco consumidor

Patrocínio

Apoio

Parceiros

facebook-2048-black_pqn1.png
YouTube-logo-dark_pqn1.png